Twitter icon




Aquilo que chamamos de livre arbítrio faz parte primário do template humano Terrestre. Isso significa que faz parte da nossa natureza básica. Somos nascidos com livre arbítrio e por uma boa razão. Desde inicio da humanidade que está equipada com alma criativa há mais que 50.000 anos o livre arbítrio era em ação tanto quanto hoje.

Livre arbítrio significa para seres humanos que não pode haver uma interferência externa a partir de extraterrestres galáticos, nem do mundo espiritual e nem mesmo de Fonte Criativa chamada também de Deus. Se Deus interferisse não seria mais o livre arbítrio. O plano divino inclui a permissão de autonomia em todas as áreas da vida. A livre escolha é um paradigma de liberdade, um poder de escolher o caminho futuro em alta consciência ou em baixa.

Em nosso passado a humanidade escolheu coletivamente o caminho de baixa consciência que resultou em aniquilação quase total da civilização. Quatro outras civilizações se extinguiram por baixa consciência. Nos, da quinta civilização, desde Suméria estávamos ao mesmo rumo de destruição no ano 2000 (holocausto nuclear), como as profecias apontaram, mas acabamos de permanecer sem III guerra mundial. Desde da marca astronômica de 2012 nós nos encontramos na sexta civilização. Ela apenas começou. Essa vez não houve uma demarcação nítida entre uma e outra, ou seja uma aniquilação. O que está mudando é a energia humana com população global permanecendo. Eis a nova energia a transformação da humanidade.

Ao decorrer dos seculos a consciência humana desenvolve e com ela as escolhas se tornam mais diversificadas. No seculo XIX, por exemplo não era possível para uma mulher independente ter uma vida plena. O paradigma da época demandava que uma mulher esteja casada com um homem. Hoje em dia uma mulher pode escolher uma vida independente. Uma civilização mais desenvolvida permite certas escolhas que eram tabus num seculo anterior. O livre arbítrio sofre mudanças de acordo como a humanidade eleva a sua consciência.

Para um individuo o livre arbítrio significa que através da sua mente ele tem liberdade de construir o seu caminho de vida. Livre arbítrio, porém, não significa livre desejo. Em nossa sociedade global muitas convenções foram feitas por nossos ancestrais. Não somos os primeiros a habitar a Terra. Por isso o livre arbítrio em nosso mundo limita se frequentemente a aceitação ou não-aceitação de normas estabelecidas. Eu como individuo posso apenas escolher aquilo que é selecionável para mim e não aquilo que não é disponível a dado momento. Quando uma coletiva em seu desejo ou exigência alcança uma massa critica o sistema regente pode mudar. Resumindo o livre arbítrio é o que eu posso e não o que eu desejo.

O livre arbítrio ao nível espiritual refere-se frequentemente a fé em Deus. Sabemos que estamos sendo amados por Deus além de qualquer medida humana, mas um ser humano pode escolher a não acreditar em uma força superior e ainda assim será amado da mesma maneira que os outros. Deus não julga. Deus não colocou livre arbítrio como estilo de vida no jardim Eden que é uma metáfora para o nosso planeta em primeiro lugar para depois julgar os habitantes por ter aproveitado extensamente a livre escolha. Fomos ensinados diferentemente. Um Deus que julga é uma invenção, uma projeção humana que é proveniente da mente de baixa consciência e já é a hora colocar tais conceitos no lugar onde eles pertencem, na caixa de mitologia humana. O livre arbítrio faz que o imenso mundo espiritual com toda a sua força pode assistir um ser humano se destruindo ou até outros.

A livre escolha é relativa a individuo. Um ser humano pode acreditar na cura física e outro não. Um curandeiro xamânico pode curar só com um toque de mão. Mas um ser humano em sua crença pode ter objeções. Uma pessoa aflita com uma doença que não acredita que a cura ocorre ou acha que não merece ou um filtro acashico inconsciente impede, a força disponibilizada pela fonte criativa que o curandeiro pediu se dissipa e vai para outro lugar e o doente não será curado.

Livre arbítrio é um "poder dos Deuses" e não de escravos. Já que cada um ser humano nasce com direito de livre escolha, cada tentativa de ditadura ou escravidão permanente acaba falhando finalmente. A natureza humana inata, o template básico não pode ser suprimido por longos períodos de tempo. Nas espocas de trevas isso foi tentado constantemente onde uma elite dominadora privava os súditos de direitos básicos. Isso é baixa consciência humana, o paradigma de velha energia.

Quais maravilhas futuras podem ser geradas com livre arbítrio em alta consciência? Imensas belezas, cultura de compaixão e fraternidade global. Um mundo novo com sociologia bela e benevolente aplicada a cada ser humano.